Sunday, 5 February 2017

Portugal 1965 - José Augusto



Já apresentei aqui algumas camisolas provenientes de José Augusto. Segue-se hoje mais um equipamento principal da Selecção que ele vestiu durante o jogo contra a Turquia em 1965. Pela primeira vez ele capitaneou a Selecção das quinas, e Portugal venceu confortávelmente por 5:1.
Foi o primeiro jogo de qualificação para o Mundial de 1966. Marcou o início para o então maior successo que iria calhar a uma Selecção portuguesa.
As camisolas já utilizavam o novo emblema, que foi o escudo. Essa mudança tinha acontecido em 1962, quando os cinco escudos, representando as Chagas de Cristo foram substituídas.

I already presented some shirts used by José Augusto. Today i have one more home kit of Portugal, that he wore during a match vs Turkey in 1965. It was the first time that he led the team as captain and that Portugal won by 5:1.
It was the first qualifier for the 1966 WC. This was the start to what should become the biggest success of a portuguese team until that time.
The shirt already showed the new crest, the "escudo". It had been used since 1962, when the old emblem was replaced.

Jogo/ match: 24.01.1965  Portugal vs Turkey  5:1

Fornecedor/ outfitter: Peyroteo

Saturday, 31 December 2016

Benfica 1986 - Rui Águas



O nome Águas está ligado ao successo do Benfica como poucos. Isso não só pelo grande José Águas, que foi bicampeão europeu, mas também pelos feitos do filho Rui. Lutou muito contra os efeitos de ser filho de um dos maiores jogadores que já representaram o clube, e conseguiu acrescentar muitas páginas á história do Benfica.
Nasceu a 28 de Abril 1960 em Lisboa e já cedo fez parte da família do Benfica. Começou a jogar voleibol, mas tornou-se para o futebol aos 12 anos. Depois de passagens pelo Cultural da Pontinha e Sporting teve que parara dois anos devido a uma gráve lesão. Voltou em 1980, representando o G.D. Sesimbra na terceira divisão. Depois de uma época ao serviço do Atlético assinou o seu primeiro contrato profissional para o Portimonense em 1983. Permaneceu e desenvolveu lá durante duas épocas até voltar ao Benfica em 1985.
Não tardou muito para deixar a sua própria marca no clube. Forte no jogo aereo e com um talento natural a desmarcar-se para o toque final, logo na primeira época foi responsável por 17 tentos.
Seguiram-se mais duas épocas ao mais alto nível e com um Campeonato Nacional e duas Taças de Portugal ganhas. Em 1988 não foi só o melhor marcador na Taça dos Campeões Europeus, mas foram os seus dois golos na meia-final contra o Steaua, que carimbaram a passagem à 6a Final dos Campeões Europeus.
Seguiu-se a transferência para o Porto. Houve muita especulação e pouca informação e assim nao entro muito no assunto, já que a decisão foi algo pessoal dele e há de respeitar isso.
O mais importante foi o seu regresso para Lisboa dois anos mais tarde. Em 90/91 foi logo melhor marcador da liga, com 25 golos. Na época seguinte houve o caso em Kiev, onde fraturou o pé direito. Uma entrada violenta praticamente terminou-lhe a época.
Nas duas épocas seguintes, apesar de ter sido um elemento da equipa muito influente, os golos já nao surgiram em números tão expressionantes. Em 1994 ele despediu-se do Benfica como Campeão, e é assim que a maioria dos adeptos o guardam na memória.
Terminou a sua grande carreira em 1995 ao serviço do Reggiana.
A partir de 1998 seguiram-se algumas estações como técnico. Recentemente recindiu contrato com a Federação de Cabo Verde. A sua qualidade e experiência, ganha ao longo dos anos, levou os Tubarões Azuis ao CAN.
A camisola apresentada foi utilizada por ele durante a época 86/87. Foi o terceiro ano que o Benfica utilizou Partocinio nas camisolas.

The name Águas is linked to Benfica like almost no one else. It didn`t only come from José Águas, the captain of the European doublechampions in the early 60s, but also from his son Rui. He fought hard to not only be recognized as son of one of the most prolific players that represented the club, but also to add some own pages to the history of Benfica.
Born on Apr. 28th, 1960, he soon became member of the Benfica familiy. First he started playing Voleyball but at the age of 12 he turned over to football. After short spells at Cultural da Pontinha and even Sporting, he had to stop playing due to a severe injury. It took two years to recover and start a comeback. It was in 1980 were he represented 3rd divison G.D. Sesimbra. After two years there and another at 2nd division Atletico, he signed his first professional contract with Portimonense in 1983. He developed and got on the radar of Benfica and as a logocal consequence they signed him in 1985.
It didn't take long to leave his mark on the pitch. Highly skilled in the air and with a natural talent to be where a striker should stand, he scored 17 goals already in his first season. Followed by two more seasons at highest level, crowned with one Championship and two Cups, he even became best scorer in the 87/88 season of the European Champions Cup. It were his two goals in the semi-final against Steaua that awarded Benfica with its 6th presence in a Champions Final.
In summer of 1988 he signed for rivals Porto in a controversial transfer. People talked a lot about it and there is still a lot of speculation instead of information. That`s why i don`t comment about it and state that he surely had his reasons that we should respect.
Most important was that he returned two years later. Immediately he found the scoring track and became best scorer in the league with 25 goals. The following season was marked by his terrible injury in Kiev, where he was tackled from behind and got his ankle broken. It basically ended his season that year.
Returning from injury and being in the early 30s, he got less decisive as before. He represented the club two more years and left it as Champion in 1994. That's how many benfiquistas keep him in mind.
In 1995 he ended his carreer at Reggiana in Italy.
From 1998 on he had several jobs as coach. The most important might have been his last one, as National coach of Cape Verde. His quality and experience helped the nation go to the CAN.
The shirt above was used by him during the 86/87 season.

Jogo/ match: ?

Fornecedor/ outfitter: Adidas

Sunday, 13 November 2016

Portugal 1983 - José Coelho



José da Silva Coelho, nascido a 5 de Agosto 1961 em Penafiel, deu os seus primeiros passos como jogador profissional em 1980 pelo FC Porto. Travado pelo então treinador Mickey Walsh apenas fez cinco jogos e foi transferido para o Boavista ao fim da época.
Seguiram-se sete épocas pelos axadrezados como jogador fundamental e regularmente utilizado. Foi o seu periodo mais produtivo com quase 160 jogos e mais de 30 golos marcados. Com três participações na Taça UEFA o Boavista também marcou presença internacional.
Em 1988 mudou-se para o Estrela da Amadora onde permaneceu uma época. Depois disso representou o Penafiel, Chaves e mais uma vez o Boavista, cada clube só por uma época. Despediu-se do Boavista com a Taça de Portugal ganha contra o FC Porto.
A nível internacioal ele percorreu todas a camadas jovens. Disputou 25 jogos entre os sub14 e sub21. Depois foi chamado mais 8 vezes para representar Portugal na Seleção A.
A camisola apresentada foi utilizada por ele durante o jogo contra a União Soviética em 1983. Este modelo apenas foi utilizado uma vez.

José da Silva Coelho, born on Aug 5th, 1961 in Penafiel, made his first steps as a pro for FC Porto ein 1980. After only 5 matches he was sold to city neighbour Boavista the following season.
He played for the club 7 seasons on a regular basis. It was his most successful part of his career and he played for the chequereds on almost 160 ocasions, scoring more than 30 goals. He also helped the club to reach the UEFA Cup on three ocasions.
In 1988 he moved to Estrela Amadora, playing one season for them. Afterwards he moved to Penafiel, Chaves and Boavista, representing each club for one season only. When he left Boavista in 1992, he did it after having won the Portuguese Cup against Porto. It was his biggest success of his career.
On international level he went through all youth levels, starting with the U14 and ending with the U21, after a total of 25 matches. On senior level he was called 8 times.
The shirt shown above was worn by him during the match against the USSR in 1983. This type of shirt was a one off shirt amongst the Portugal shirts.


Jogo/ match: 26.04.1983  USSR vs Portugal (Sub21)  1:1

Forecedor/ outfitter: Adidas

Sunday, 23 October 2016

Benfica 2014 - Artur



Aínda me lembro perfeitamente das meias-finas da Liga Europa em 2011, quando o Benfica enfrentou o Braga. Na segunda mão o Benfica viu-se aflito a recuperar uma desvantagem no marcador para poder ir à Final em Dublin. Artur então fez um grande jogo e conseguiu, ao lado dos seus colégas, manter a baliza limpa. Fiquei bem impressionado com ele, mas ao mesmo tempo também muito aziado com o resultado desfavorável para o Benfica.
Foram à Final, mas dois dias antes da mesma, surgiram notícias que Artur tinha assinado contrato com o Benfica. Isso causou polémica e, mesmo tendo feito um bom jogo mais tarde, não conseguiu evitar a derrota por 0:1.
Artur Gulhereme Moraes Gusmão iniciou a sua carreira profissional no Brasil, no Paulista, em 2001, com 20 anos de idade. Em 2003 foi emprestado ao Cruzeiro e mais tarde contratado pelo clube de Belo Horizonte. Seguiram se passagens pelo Curitiba e a partir de 2008 na Europa. A sua primeira paragem foi no Siena, que o contratou. Foi emprestado ao Cesena até ao fim da época e depois envolvido numa transferência, que o levou até ao Roma. Permaneceu lá até 2010, mas para relançar a sua carreira trocou o clube italiano com o Braga, que tinha perdido Eduardo e Kieszek. Começou como substituto, mas devido a várias lesões dos habituais guarda-redes, a partir de Dezembro foi titular. E assim começou a dar nas vistas. O Braga então lutou até à última jornada com o Benfica pelo titulo e muito se deveu às suas qualidades, que mais tarde levaram o Benfica a optar pelos seus serviços.
Na sua primeira época na Luz foi titular indiscutível e justificou bem o investimento. Já na segunda as coisas não correram tão bem. Houve alguns jogos menos conseguidos e a época terminou da pior forma que se pode imaginar. De três titulos possíveis, não se conseguiu um! Na penultima jornada da Liga perdeu-se contra o Porto e assim o Campeonato. Dias mais tarde a amargosa derrota em Amsterdão frente ao Chelsea. E duas semanas depois aínda a Taça fugiu para Guimarães.
Na época de 2013/14 Artur iniciou-se como titular, mas ao meio dela, e depois de mais alguns erros inesperados, perdeu o lugar para Jan Oblak, que o defendeu até ao fim da época.
Depois da inesperada partida de Oblak para o Atletico Madrid, Artur voltou a ser titular, mas apenas fez mais poucos jogos, perdendo assim o seu lugar para Julio César, que tinha sido contratado ao fim do Mundial.
Artur deixou o Benfica ao fim da época 2014/15 e encontra-se atualmente na Turquia ao servico do Osmanlispor.
Esta camisola foi preparada para ele durante o Emirates Cup em Londres 2014 contra o Valencia.

I can still remember perfectly of the Europe League Semifinals in 2011, when Benfica played Braga. On the second leg Benfica were running against a 1:0 defeat that would have left them out of the final. Artur made a very good game alongside his teammates and denied Benfica that sought spot in the Final. Days ahead of the Final there were (later confirmed) rumourd that he had sigend a contract with Benfica. That caused a lot of trouble, and despite having made a good game he couldn't avoid the defeat against Porto.
Artur Gulherme Moraes Gusmão started his career at Paulista in 2001 at the age of 20. In 2003 he was loaned to Cruzeiro and later on transferred to the club from Belo Horizonte. He had appereances for Curitiba and in 2008 he moved abroad to sign for Siena in Italy. He was immediately loaned to Cesena and at the end of the season sold to Roma. He stayed there until 2010 and moved on to Braga to play on a more regular basis. This wasn't the case at the beginning, but during wintertime the injuries of the first two keepers gave him the starting spot and he grabbed it. He helped the northern portuguese club to keep the title race open until the last matchday and finishing second ranked at the end.
During his first season in Lisbon he was first choice and justified the coach's decision with great quality. The second season was not very lucky. A few poor matches opened the door for his critics and at the end of the season the worst was to come. First Benfica lost the second to last match against Porto and the Championship. A few days later the Europe League Final was lost against Chelsea and two weeks later even the Cup was gone... Out of three finals, no titles!
The following season (2013/14) he started as first choice, but he wasn't lucky again, and lost his place to Jan Oblak.
After a unexpected move of Oblak to Atletico Madrid, he gained his top spot back, but only for a few games. The new signing, Julio César, became first choice. Artut left Benfica at the end of the 2014/15 season and is currently playing for Osmanlispor in Turkey.
The shirt above was prepared for him for the match vs. Valencia during the Emirates Cup in London 2014.

Jogo/match: 03.08.2014  Benfica vs. Valencia  1:3

Fornecedor/outfitter: Adidas

Friday, 30 September 2016

Portugal 2015 - Ronaldo



Há pouco mais de um ano atrás, Portugal já tinha defrontado a França num amigável em Lisboa. Foi um teste contra o anfitrão do Euro no ano seguinte, que serviu para tirar conclusões que mais tarde provavelmente foram muito úteis.
O resultado pouco importou então, mas houve alguns acontecimentos parecidos da final de Paris, um ano mais tarde.
O resultado foi o mesmo, já que a vitória caiu para a França, também  perto do fim do jogo.
Ronaldo também saiu mais cedo do jogo, apesar de não ter sido devido a uma lesão, mas como opção técnica.
Rui Patrício foi entao decisivo no resultado ser apenas 0:1, com várias intervenções a evitarem golos para os visitantes.
Afinal foi um jogo que ajudou bastante a perceber a maneira do jogo gaulês e, certamente com alguma sorte, a saír vitorioso do Stade de France.
Esta camisola foi preparada para Cristiano Ronaldo.

A bit more than a year ago, Portugal already played France in a friendly in Lisbons Alvalade Stadium. It was a test against the host of the 2016 Euro, that served well to get some conclusions and later were quite useful.
The result was not very important then, but there were some similarities to the final in Paris, one year later. In fact it was the same margin that this match was won by. The only difference was the winner, also close to the end of the game.
Ronaldo was substituted before the final whistle, although not due to injury, but for a tactical reason.
Rui Particio was very important and at his best, helping to keep the result levelled until close to the end, and denying several chances to the guests.
In the end it was a game that helped to understand the way of french football and a few months later, leaving the Stade de France with the Cup.
This shirt was prepared for Cristiano Ronaldo.

Jogo/match: 04.09.2015  Portugal vs. France  0:1

Fornecedor/outfitter: Nike

Sunday, 21 August 2016

Benfica 1986 - Silvino



Silvino de Almeida Louro nasceu a 5 de Marco 1959 em Setúbal. Ingressou no Vitória na época de 1973/74 para jogar pelos iniciados como guarda-redes. Durante a sua juventude já atuava regularmente pelas seleções distritais, tal como a Seleção de juvenis de Portugal.
Em 1977 assinou contrato profissional pelo Vitória e foi terceira opção durante a época. Depois da saída dos GR principais, calhou-lhe a ele defender a baliza do clube a partir da época 1978/79.
Em 1982 decidiu assinar contrato com o Vitória de Guimarães, após ter perdido o lugar como titular para Amaral.
Em Guimarães teve duas épocas com sensações diferentes. Enquanto a primeira correu da melhor forma, deixando o clube em quarto lugar do campeonato, a segunda foi diferente e ele nem sempre foi titular.
O Benfica contratou-o em 1984 para suplente do titularissimo Bento. Não tendo feito um jogo durante toda época, ele foi emprestado ao CD Aves na proxima época e manifestou-se como titular durante toda a época. A lesão grave de Bento durante o Mundial de 1986, abriu lhe as portas para regressar á Luz. Ele teve a concorrência de Neno, mas o treinador John Mortimore escolheu Silvino para defender as redes do clube, e assim aconteceu durante quatro épocas. Nesse periodo ele participou em duas Finais da Taça dos Campeões Europeus, ambas perdidas.
Em 1991/92 ele perdeu o lugar como titular para Neno e até ao seu fim de contrato em 1994, na maioria ele foi suplente.
Voltou para Setúbal no início da época 1994/95 e fez uma temporada notável, o que levou o FC Porto a contrata-lo para a época seguinte. Foi então suplente de Vítor Baía, mas depois da sua saída para o Barcelona em 1995, ele conseguiu impor-se à concorrência e agarrou o lugar como titular.
Após duas épocas no Porto ele mudou-se para o Salgueiros onde fez mais três épocas, antes de se retirar em 2000, com 41 anos, do futebol profissional.
Durante a sua brilhante carreira ele foi campeão quatro vezes, ganhou a Taça de Portugal três vezes e juntou mais uma Supertaça.
Pela Seleção disputou 23 jogos durante um periodo de 14 anos.
Hoje ele continua a sua vida profissional como treinador adjunto de José Mourinho, focando-se nos guarda-redes. 
Esta camisola foi utilizada por ele durante a época de 1986/87 no Campeonato Nacional.

Silvino de Almeida Louro was born on Mar. 5th, 1959 in Setúbal. He started playing football for the home club in 1973 as a teen and soon was called for the district and national teams of his age.
In 1977 he signed his first professional contract with Vitória Setúbal and became third choice during his starting season. After the first two GK left the club in 1978 he gained the confidence of his coach, who appointed him to first choice. This was the case during three seasons before he lost his place to Amaral during the 1981/82 season.
This led him to sign for Guimarães, where he had a perfect first season, helping the club to end on 4th spot. The following season was different with ups and downs, and when he got a invitation to represent Benfica, he didn`t think twice.
During his first season he didn`t play a match, so that he was loaned to CD Aves one year later. There he was first choice and had a notable year. Bento, Benfica`s GK for years, was heavily injured during the 1986 WC, and so Silvinos spell at Aves was over quickly. He imposed himself over his colleague Neno and became first choice for the next years. During that time Benfica played to European Champions Cup Finals in 1988 and 1990.
During the 1991/92 season he lost his top spot to his team-mate Neno and never won it back till he left the club in 1994, when he returned to Setúbal. But it wasn't a long dated return, as he moved to FC Porto one year later as backup for Vítor Baía. After Baía left the club in 1995, he grabbed his opportunity and helped the team winning the Championship.
In 1996 he left Porto, to represent Salgueiros and did it for three more years, before retiring as a player at the age of 41.
During his career he became Champion four times, three times Cup winner and one Supercup.
On international level he played for Portugal 23 times during a period of 14 years.
Today he is goalkeeping coach in the team of José Mourinho.
The shirt shown above was worn by him during the 1986/87 season.

Jogo/ match: -

Fornecedor/ outfitter: Adidas

Saturday, 16 July 2016

Portugal Campeão Europeu 2016 - Portugal European Champion 2016


Portugal sagrou-se Campeão Europeu com a Seleção A pela primeira vez. No domingo passado, dia 10 de Julho 23.33h, o árbitro Mark Clattenburg terminou a partida e nesse momento a alegria não teve limites. Todos jogadores correram para o relvado, abraçando-se e todos queriam cumprimentar Éder, que tinha marcado o golo da vitória, uns 13 minutos antes.
A festa que não se teria esperado duas horas antes, quando a equipa tricolore entrou forte no encontro, obrigando Portugal a recuar as linhas para que não sofriam golo. Depois aínda houve a lesão de Ronaldo, devido uma entrada dura de Payet aos 8 minutos, que resultou na sua substituição aos 25 minutos. Por aí tudo parecia perdido, mas a equipa mostrou mais uma vez moral e força mental, como durante o torneio inteiro. Foi uma demonstração, não de futebol lindo, mas de vontade e capacidade mental superior como nunca tinha visto antes.

Voltando atrás, para o início do torneio, Portugal via-se num grupo accesível com os adversários Islândia, Hungria e Austria. Mas mesmo tendo tido o maior número de remates à baliza durante a fase grupos, entre todas as equipas, apenas foram conseguido três empates. Mesmo assim Portugal apurou-se para os oitavos como um dos melhores terceiro classificados. Entre os Portuguêses e adeptos as esperanças estavam diminuindo e houve poucos que acreditavam. Não foi esse o caso na comitiva portuguêsa. Uma das frases mais discutidas foi certamente a de Fernando Santos, que numa conferência de imprensa manifestou o seu ponto de vista ao dizer que só voltava a Portugal no dia 11 de Julho e seria recebido em festa. Não foram poucos que lhe chamavam palavrões e duvidaram a sua competência.
Nos oitavaos viu se uma equipa portuguesa completamente diferente. A tática ofensiva, que se jogou na fase de grupos, foi substituida por um esquema defensivo para limitar as armas da Croácia. Foi aí que se deu para entender o plano do "Mister". Jogar unidos e aproveitar as oportunidades que iam aparecer. Durante do jogo bem se viu que a Croácia não conseguiu criar muitas oportunidades, mas nos nossos contra ataques tinham dificuldades. E assim surgiu o único golo da partida, aos 117 minutos, precisamente num contra ataque que garantiu a passagem aos quartos.
A Polónia teve a sorte de aproveitar um erro individual para abrir o marcador aos 8 minutos, mas com a mesma tática, desta vez mas com a obrigação de empatar o jogo pelomenos, a equipa mostrou caráter e lá conseguiu com um belo remate de Renato Sanches. A decisão apenas apareceu na marcação de penalties com o melhor fim para Portugal, quando Rui Patricio defendeu o remate de Blaszczykowsky. Durante todo o torneio não se viram mais penalties tão bem executados. Tanto os polacos como os portugueses remataram todos de maneira excelente, só que num, o guarda-redes caiu para o lado certo.
Nas meias finais depois apareceu o adversário surpresa, País de Gales, que tinha eliminado a poderosa Belgica. Nesse jogo a tática foi um pouco alterada, na maneira que Portugal assumiu mais iniciativa que nos jogos anteriores, e tentou aproveitar a qualidade individual dos seus jogadores para chegarem ao desejado resultado antes dos 90 minutos. E assim foi! Dois golos em poucos minutos resolveram o jogo já perto da hora e com o apito final também estava carimbada a passagem à segunda Final de Portugal.
Admito que fui crítico e a falta de eficácia nos primeiros jogos me irritaram imenso. Não gostei da extrema confiança transmitida pelo treinador, que não ia passo a passo com as exibições em campo. Não me parecia humilde falar de tal maneira e mostrar algo diferente nos jogos.

Que bem que fiquei errado e nunca soube tão bem estar tão mal encaminhado. Viu se que a equipa cresceu de jogo para jogo e que a ideia passada pelo treinador, encaixou perfeitamente com o sistema adaptado. Com todas as limitações que Portugal teve, mas ao mesmo tempo com alguma sorte, superou todos os obstáculos que foram aparecendo e por isso o título foi muito bem merecido. Foi a obra de uma equipa em que cada um jogou e lutou para o seu companheiro, e foi essa a receita do successo deste torneio. A equipa que melhor funcionou como equipa foi a que levou o trofeu.
Obrigado a todos que fizeram para que isso pôde acontecer. Desde os condutores ou elementos de segurança, dos roupeiros e cozinheiros até aos diretores e naturalmente os jogadores e o nosso seleccionador Fernando Santos: um grande OBRIGADO. Vocês sois todos o orgulho de Portugal e merecestes tudo o que o nosso país vos pôde dar.
Eternamente grato!


 
O voo da Seleção para Portugal, no Flightradar